Josep Guardiola – 50 anos

Pep Guardiola é sinônimo de futebol bonito, o que é subjetivo. Por que subjetivo? Porque o que é bonito para mim, pode não ser bonito para você. Porém nos dois clubes que passou (Barcelona e Bayern de Munique) ele é lembrado pela forma como seus times jogavam e encantavam o público, e é assim também que funciona no seu atual clube, Manchester City. Um futebol de domínio sobre o adversário, muito além da posse de bola. Os gols, as inúmeras finalizações durante as partidas e os placares elásticos ao longo da carreira demonstram isso. Um futebol que preza pelo ataque e muito também pela defesa sólida.

Sim, muitos acham que os times do Guardiola só são fortes no ataque, porém suas defesas sempre sofreram pouquíssimos gols. 

Alguns dos ingredientes que Pep Guardiola abordou em Barcelona e Munique, e que também são utilizados em Manchester: posse de bola, marcação pressão, perde-pressiona, ataque direto, contra atque, variação na amplitude (pontas abertos, laterais abertos, um lateral e um ponta) e linha alta; goleiro que saiba jogar com os pés, jogo apoiado, compactação ofensiva e defensiva; ataque goleador (Eto’o,Lewandowski e Aguero), defesa sólida, zagueiros construtores (Piqué, Mascherano; Boateng, Humells; Laporte, Stones), pontas agressivos (Henry, Messi; Robben, Ribery; Sterling e Sané) e meios campistas geniais (Busquets, Xavi, Iniesta; Kroos, Alonso, Schweinsteiger; Fernandinho, Silva e De Bruyne). Além das variações táticas em fase ofensiva: 433, 343, 325, 235, 3142, 4231… E em fase defensiva: 4141, 442, 541, 532, 4231, 451…

Pep Guardiola se transformou no melhor treinador do mundo por conta da sua influência no jogo e da forma que a maioria dos seus atletas evoluem sendo treinados por ele. Robben, Pedro, Mascherano, Fernandinho, Boateng, Kroos, Messi e até o Sterling, esse talvez seja o maior feito de Guardiola na carreira: pegar um jogador que era taxado como flop, mico e um investimento ruim do City e o transformou em um dos jogadores mais goleadores, assistentes, dribladores e decisivos do mundo.

Da revolução no futebol em 2008 com o Barcelona à revolução tática na Alemanha em 2013. Muitos tinham dúvidas sobre se o seu estilo de jogo não iria dar certo no futebol inglês. Bem, o tal estilo fraco conquistou duas ligas fazendo 198 pontos, único time na história a fazer 100 pontos na Premier League, e também a única equipe da história do futebol masculino inglês a conquistar os 4 títulos domésticos em uma única temporada 18-19 (Supercopa da Inglaterra, FA Cup, Copa da liga e Premier League). É, talvez não dê certo mesmo…

Nem nos seus melhores sonhos ele poderia imaginar que quando chegasse aos cinquenta anos de idade seria considerado por muitos (inclusive por mim) o melhor treinador da sua geração, do mundo e da história do futebol. Pep Guardiola é filho dos húngaros de 1954, do Brasil de Pelé em 1970, dos holandeses em 1974 e do Johan Cruyff na década de 90

Pep Guardiola é o treinador mais influente da história do futebol! Um “ladrão de ideias” que se transformou em um fornecedor de ideias. Gênio.

Por Ícaro das Análises

Ousado, sonhador e alegre.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s