Categorias
Sem categoria

USANDO UM BOM JOVEM ELENCO E SOMANDO A PEÇAS EXPERIENTES E CONHECIDAS, GERRARD TENTA TRAÇAR UM EXCELENTE FUTURO PARA O ASTON VILLA

Por: João Bosco Neto (@obosquin)

Atualmente na 13ª posição da Premier League, o Aston Villa está longe de brigar por grandes coisas nesta temporada. Mas com a chegada do conhecido Philippe Coutinho aliada à já bem construída base do time de Birmingham, e com o promissor técnico Steven Gerrard, o Villa tem uma mina de ouro nas mãos para a próxima temporada.

Quem vê o Aston Villa jogar entende que tudo que esse time precisa são algumas peças pontuais para realmente almejar e brigar por algo maior. O clube possui uma base bem montada com jogadores como Emi Martinez, Cash, Digne, Douglas Luiz, Sanson, Buendia, Ramsey, Traoré, Ings, também conta com outros bons nomes como Mings, Nakamba, Trezeguet, Bailey, além do recém-chegado Coutinho e do experiente Young. Além dos jogadores, o head coach Steven Gerrard é uma peça crucial nesse time. Assumindo com a temporada corrente, o treinador ainda não adaptou suas ideias completamente, mas já fez os The Lions jogarem muita bola em determinados jogos, como no empate contra o United, que só foi empate porque o time da vila sofreu com dois erros individuais bisonhos, pois dentro do jogo foi altamente superior. Fora isso, o britânico é extremamente promissor e vem de um grande trabalho com o Rangers.

Recentemente foi noticiado que o treinador teria telefonado para seu amigo e ex-companheiro de Liverpool, Luis Suárez, e convidado-o para jogar no Villa na próxima temporada. Isso demonstra tanto um bom posicionamento da comissão técnica atrás de reforços experientes, de peso, e pontuais, como a grande influência do comandante da equipe em certos jogadores e, quem sabe, posteriormente, com a diretoria do seu ex-clube atrás de nomes para seu time.

Buscando um futebol mais ofensivo, explorando geralmente a velocidade e a qualidade de Buendia, o Aston, com o planejamento certo, pode e deve conseguir jogar bem e bonito e formar o “Big 7”, como alguns outros times de meio de tabela conseguiram, a exemplo Wolverhampton, Leicester, West Ham, Leeds United, entre outros.

Talvez esteja empolgado mais do que o necessário, ou talvez seja só uma visão do potencial que o campeão da Champions de 1980 tem nas mãos para voltar a ser respeitado e voltar a brigar por coisas realmente grandes.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s